No Meio da Floresta

 

     http://www.familiasim.com.br  No meio da floresta um homem envolto em suas lembranças procurava entender os segredos da vida e o por que de tantas surpresas desagradáveis. Caminhava lentamente  tentando encarar a sua recente realidade, as pedras e pequenos correntes reconheceram seus passos, mas agora bem diferente, sentiram a ausência da alegria contagiante que sempre estava junto a ele, o que teria acontecido para separar os dois se sempre caminhavam lado a lado.

Alguns pássaros na copa das árvores  o acompanhavam em silêncio, enfim ele parou e sentou-se junto ao caule de uma antiga ingazeira, recostou-se e ficou olhando para cima tentando entender os segredos da vida e por que sofremos tanto. O vento nos galhos mais altos entoava um som melancólico e vieram em sua lembrança antigas canções as quais havia cantado para fazer ninar a quem já estava distante de seus olhos. De repente a árvore começou a cantar a mesma canção, por alguns instantes ele pensou que estava passando por alucinações, quando ouviu uma voz pedir calma.

Eu sei quem é você e sinto a sua dor mas a vida é assim mesmo muito estranha e a única certeza é que não sabemos nada sobre viver. Pensamos que somos capazes o suficiente para fazer alguém feliz, mas somos pequenos aprendizes e desconhecemos os mistérios além do que vemos ou sentimos. Você lamenta a sua perda mas já teve muitas outras de proporções diferentes,, porque na vida nada é igual e vivemos de perdas e ganhos.

Vou lhe contar dois segredos, em uma noite de inverno aconteceu uma tempestade, um vento forte revirou tudo e quando amanheceu o dia eu vi o desespero de alguns animais olhando seus filhotes mortos ou agonizando, dormiam em meus galhos, estavam sob a minha proteção e nada pude fazer para evitar aquele sofrimento. É, naquela noite eu também tive as minhas perdas, galhos quebrados e retorcidos mostravam a minha fragilidade, mas nada poderia ser comparado a minha angústia por não ter evitado tanta dor.

Talvez você possa até pensar, ora, eram apenas galhos e pássaros, engano, eram vidas e igual a você aqui estou e nada será como antes. O segundo segredo, nós já nos encontramos muitas vezes e esse é o maior segredo de todos os tempos, não estamos visíveis, mas estamos presentes. Precisamos aprender a sentir e principalmente acreditar no que não podemos ver, a vida não acaba, transcende.

Maninho.

Tags

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.