A Fantástica Palestra

      A fantástica palestra tinha um fascinante conteúdo sobre a vida, mesmo com entrada grátis e um palestrante misterioso muitas cadeiras estavam vazias, era um tema bastante debatido e algumas pessoas não prestigiaram o evento. Abriram-se as cortinas e um homem com a voz suave deu boas vindas ao público presente. Mesmo antes de qualquer apresentação no meio da plateia um homem levantando-se com dificuldade e apoiando-se em uma bengala falou o seguinte: Já vivi muito e não estou muito preocupado para onde vou, só queria saber de onde e o que vim fazer nesse mundo.

Aquela indagação silenciou o auditório, passaram-se alguns segundos e o homem repetiu a pergunta e todos continuaram em silêncio. O palestrante deu um pequeno sorriso e disse que a pergunta era muito abrangente por isso ninguém se pronunciou, talvez se tivesse perguntado para onde iria muitos tivessem falado, porque muita gente falam desses mistérios como se os tivessem criados, acontece que a vinda e a ida é um grande segredo o qual não temos acesso.

Dito isso, a palestra fantástica iniciou com o tema gratidão, um dos maiores obstáculos que o amor enfrenta. Estamos aqui em missões especiais e se olharmos atentamente, não estão ligadas de forma direta a familiares ou amigos, são universais e por mais distantes que possamos parecer estaremos sempre presente. Reclamamos e choramos as nossas perdas, mas esquecemos de agradecer por todos os momentos que vivemos e isso é ingratidão, porque muitos nunca tiveram um amor para chorar a sua ausência, mas dificilmente enxergamos esse detalhe.

A palestra fantástica abordou um tema pesado, a dor. Não qualquer dor, mas essa que transpõe o corpo físico e se instala em nossas emoções, só não atinge a alma porque essa tem um escudo poderoso e quem a criou a preserva. Mas as dores nos aproximam e nos distanciam, mas o tempo e a esperança é o nosso analgésico, não acaba mas alivia até o dia em que cumpra-se a promessa de um mundo novo, enquanto não chega o dia, não podemos diagnosticar para onde vamos, se nem sabemos de onde viemos.

Amor, esse é o assunto principal da fantástica palestra. E quando nos referimos ao amor, é de forma incondicional em que as pessoas não pensem em ferir ou magoar porque a dor é no próximo e amar ao próximo é valorizar a vida, não fazer julgamentos ou afirmações sem conhecimentos de causa, viver, sabendo que a vida não é nossa e muitas pessoas quando dizem a vida é minha, estão inconscientes de que a vida é apenas um presente temporário.

A fantástica palestra não poderia esquecer sua excelência a fé, é ela que pode nos fortalecer nos momentos em que estamos mais frágeis, mas essa não é uma energia fácil de captar, precisamos de muita determinação e a consciência de que existe um ser supremo que cuida de tudo e que nada poderá ser comparado ao seu poder, se conseguirmos desenvolver a fé, nos aproximaremos das possibilidades e mesmo que exista sofrimento, existirá o consolo.

Maninho

 

 

Tags

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

top