Quando as luas passarem

Quando as luas passarem em nossas vidas e o tempo se encarregar de devolver o peso que colocamos nos outros. talvez possamos ver o quanto o nosso sentimento foi mesquinho, e a vergonha de encarar a nossa máscara, nos deixará sem brilho.

A vida é um grande moinho de vento que sopra em todas as direções, espalhando no universo as nossas sementes que cairão  e nascerão em alguma lugar, e quando as luas passarem e a gente já tenha até esquecido, receberemos a nossa colheita conforme o que semeamos.

Tolas e insensatas são as pessoas que no vigor de sua juventude se envaidece das maldades praticadas. Falam com fervor sobre trapaças e injúrias, como se esses sentimentos possuíssem energias  benéficas a vida. Mas depois quando as luas passarem, se espelharão e sentirão medo dos monstros que foram e o tempo que perderam por não querer semear o amor.

Quantas e quantas pessoas choram com a dor física ou espiritual, e se pergunta: Mas o que foi que eu fiz para merecer isso? Calma, quando as forças não forem as mesmas e quando as luas passarem e o olhar já estiver distante, A sua consciência revelará todas as respostas, pena que não vai poder encontrar todas aquelas pessoas, aquelas que talvez só nós sabemos.

Mas assim, é parte da  humanidade que há séculos se diverte com a arrogância e a maldade esquecendo que o moinho de vento devolverá ao tempo tudo o que plantamos, por isso seria muito bom se plantássemos o amor e a paz, porque quando o tempo vergar o nosso corpo e que a solidão dormir conosco, indiferente a tudo isso receberemos a nossa colheita.

Riremos agora, e entre gargalhadas e zombarias espalharemos ao nosso gosto de momento o que parece ser conveniente, e depois sorveremos  o amargo ou o doce que escolhemos, mas quando as luas passarem serão justas, e cada um de nós receberemos o nosso premio.

Maninho

 

 

Tags

One comment

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

top