O Lago da Vida

      O lago da vida era uma referência para todos daquele vilarejo, o nome em si justificava porque era tão significativo. Ninguém ia lá a procura de sobrevivência para voltar sem alternativas. Em uma bela noite de lua cheia, o lago estava tão iluminado que parecia um espelho no meio da mata. Um homem chegou até a margem e falou: Você tem sido muito bondoso com o meu povo e hoje venho lhe pedir uns peixinhos para fazer a refeição da minha família.

Jogou a tarrafa, mas quando puxou só vieram alguns aruás e umas folhas de aguapé. Sorriu, limpou e jogou novamente e não conseguiu pescar nenhum peixe. Comentou: Você é o lago da vida, um peixinho só será o suficiente e jogou novamente a tarrafa sobre o lago e pescou um lindo peixe esverdeado. Nunca tinha visto um igual, colocou-o na palma da mão e olhou-o fixamente. O peixe ofegante olhava para ele como se pedisse voltar para a água, o homem não resistiu e devolveu ao lago.

Tentou mais uma vez e quando erguer a tarrafa estava muito pesada e para a sua surpresa vinha uma esmeralda em cada malha. O clarão da lua refletia nas pedrinhas verdes que parecia uma constelação com brilhos intensos e alternados. O homem pensou! Pesquei um grande tesouro mas não preciso de tanto. Retirou uma das pedras e jogou no lago, as pequenas marolas se transformaram em uma linda borboleta azul que voou rumo a lua. Ele jogou a segunda pedra e outra vida surgiu da água juntando-se a borboleta.

O homem não hesitou, devolveu ao lago todas as pedras que ao se transformarem em vidas cobriram a lua e escureceram o lago. Em seguida caiu um pequeno sereno sobre a mata e foi ouvido em todos os lugares um cântico de liberdade. Uma energia invadiu os arredores do vilarejo, devolvendo a paz e retirando a dor, o lago da vida se fez presente da forma mais digna possível, a solidariedade.

As vezes temos muito mais do que precisamos, recebemos as mais diversificadas dádivas, possivelmente nos ofertando a possibilidade de doar um pouco aos menos favorecidos, o lago da vida é eterno e secreto, mas poderá se fazer presente em cada um de nós, não sabemos quando e nem por que, mas se o sereno molhar a gente, não precisaremos procurar proteção, é ele que nos protege com a sua divindade.

Maninho.

 

 

Tags

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

top