Sociedade Mascarada

      Sociedade mascarada, uma grande parte da população desconhece que o baile acaba e as máscaras vão cair. Cada pessoa é preciso ter consciência de sua responsabilidade e não permitir que seus desejos individuais coloquem os outros em abismos. Certa vez em um rebanho nasceram alguns alguns filhotes cegos, um pastor entendeu que por não enxergarem seria mais fácil cuidar, pediu ao dono da fazenda que lhe concedesse a missão de ficar responsável por todos os animais que apresentassem esse tipo de deficiência. 

Talvez o destino ou quem o criou desafiou ao pastoreiro, nasceram muitos carneirinhos cegos. O proprietário ofereceu ajuda por entender que seria muito trabalho, o homem não aceitou, seu ego foi mais forte de que sua conscientização. Os animais confiavam muito nele, já não precisava nem chamar, seguiam seus passos. Um dia o homem teve a triste ideia de trair a confiança dos bichos e seguiu rumo a um desfiladeiro. Em baixo um grande abismo e na esperança que todos caíssem, ele foi até a parte mais alta. Olhou para trás para ter certeza que não ficaria nenhum, para sua surpresa o dono do rebanho apareceu e conduziu todos a um pasto farto de arbustos e água. Chamou o pastoreiro e disse: Vi que estava cansado e poderia perder-se, estou aqui, peço que me acompanhe porque ainda preciso de você.

Sociedade mascarada pelo ego bem que poderia ler essa estória, sentir-se o pastoreiro e seu rebanho cego. Quando temos conhecimento e poder de convencimento, precisamos ser transparentes com os nossos seguidores, somos responsáveis por eles. A sociedade mascarada que tenta apenas satisfazer seus desejos, tem de rever seus atos e assumir sua identidade, o rebanho é grande demais.  Talvez grande parte esteja cansada, não faz vergonha pedir ajuda, o vergonhoso é continuar com a máscara e tentar o massacre. Pastores e rebanhos são monitorados pela torre de controle, o arrependimento ainda continua sendo um dos maiores escudos do espírito.

Maninho.

Tags

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

top